O Coração Tem Razões …

Foi na primeira metade do século XVII que surgiu a figura do importante matemático francês e filósofo cristão Blaise Pascal (1623 – 1662). Embora fosse um homem de ciência, não se envergonhava de se posicionar como cristão diante da sociedade de sua época.

A Europa de então já estava dominada pelo pensamento racionalista, inaugurado por seu contemporâneo René Descarte (1596–1650). Um conhecimento só era tido como verdadeiro e válido se fosse fundamentado na razão e comprovado pela experiência. Isso levou a questionamentos sobre a validade do conhecimento que vem pela Revelação. Como explicar, pela razão e pelo experimento, Deus, a encarnação do Filho, a ressurreição de Jesus Cristo?

Respeitado na comunidade científica, retirou-se por quatro anos para dedicar-se à teologia e à filosofia, quando produziu textos que até hoje inspiram e influenciam pessoas. Em sua obra “Pensamentos”, ele entende que a fé em Cristo não exclui o pensamento racional, mas afirma que “o coração tem razões que a própria razão desconhece”.

Ele quis dizer com aquelas palavras que “é o coração que sente Deus e não a razão. Eis o que é a fé: Deus sensível ao coração e não à razão”. Sem desmerecer a razão, como brilhante cientista que era, ele mostrou a sua lucidez ao falar que ela tem seus limites. Por isso ele afirmou: “o último passo da razão é reconhecer que existe uma infinidade de coisas que a supera. Se não chegar a conhecer isso, ela é fraca. Se as coisas naturais a superam, o que se dirá das sobrenaturais?”.

Sim, é no coração, no profundo de seu ser, que o homem sente Deus. O Profeta Jeremias, dirigindo-se aos judeus que se encontravam perdidos e desorientados, disse: “vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração” (29.13). O Apóstolo Paulo escrevendo aos cristãos de Éfeso, disse: “oro também para que os olhos do coração de vocês sejam iluminados, a fim de que vocês conheçam a esperança para a qual ele os chamou, as riquezas da gloriosa herança dele nos santos” (1.18).

Antônio Maia – M. Div.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s